Ah! Outro Weasley…

Voltei a escrever só pra mim. Semana com internet, às vésperas do ano novo. Meus planos se resumem em ficar aqui filosofando e escrevendo, e publicando colunas, e trabalhando em idéias para um livro novo. Por enquanto, gostaria que vocês ficassem com a coluna que eu escrevi sobre Ron Weasley.
 

O Lamento da Fênix

 

Ah! Outro Weasley…

 

“Sim, sou eu… Ron Weasley, o amigo estúpido de Harry Potter”, ele diz no quarto filme, logo depois de Harry ter seu nome tirado do Cálice de Fogo, e tenta se explicar para ele. Aquela foi a gota d’ água! Desde o maldito momento em que ele dividiu uma cabine do Expresso de Hogwarts com o Menino-Que-Sobreviveu, teve que se acostumar a andar com alguém que recebia atenção exagerada o tempo todo, com alguém que tinha derrotado o bruxo das trevas mais poderoso que existia… Isso tudo, depois de uma infância na Toca, com seis irmãos mais velhos, e, na sua cabeça, mais inteligentes e espertos do que ele.

Já era demais! Já era hora de sair da sombra daquele garoto que não fazia nada, NADA para ser um herói. No fundo, Ron sabia que Harry não tinha culpa de nada. Mas mesmo os nossos melhores amigos se sentem assim, de vez em quando. Quem não tem aquela amiga linda e inteligente que atrai todos os olhares, que te trata maravilhosamente e é confiável mas… Que você desejaria que fosse igual a você, de vez em quando?

É muito fácil se identificar com Ron, porque ele é impulsivo, direto, e tem uma auto-estima exageradamente frágil, que é um problema quase crônico na sociedade trouxa atual. Ninguém acha que é bom o suficiente. Por mais que sejam lindas, as mulheres se sentem terríveis e nada atraentes. Os homens se sentem fracos e se enterram nas academias para agradar as mulheres e pôr inveja nos amigos. Nós vivemos hoje num clima de competição sem descanso, que é justamente o que se reflete na vida toda de Ron. Pensem comigo: ele viu seus irmãos mais velhos sendo monitores de Hogwarts, jogadores incríveis de quadribol, via como todos os admiravam e pensava consigo mesmo… Nunca vou conseguir ser assim.

Mas mesmo assim ele tentava. Tanto que se meteu em diversas encrencas depois, com Harry. Mas qualquer coisa, qualquer erro, era suficiente para fazê-lo se lembrar de que ele não poderia ser como os irmãos. Quando estava no primeiro ano, Ron se viu no Espelho de Ojesed como Monitor Chefe, como jogador de quadribol, como diversas coisas que seus irmãos tinham sido e que ele julgava ser o melhor que alguém poderia conseguir. Nada do que ele fazia estava bom.

Arrumar Harry e Hermione como amigos lhe fizeram bem para desenvolver o espírito de confiança nos outros, já que eles ficavam o tempo todo juntos em Hogwarts e compartilhavam todas as experiências. Só que, aos olhos dos outros, ele sentia que não era digno de ser amigo deles, de certa forma. Afinal, Harry era apenas Harry Potter, não havia mais nada a comentar… E Hermione era simplesmente a melhor aluna do ano. Era inteligentíssima  e nunca falhava numa resposta, conseguia ter sangue frio nos momentos necessários, enquanto ele não era nem uma coisa, nem outra.

Quando Ron não conseguia fazer algo que seus amigos conseguiam, como um feitiço, como qualquer coisa, aquele pequeno fato ia se somando.  Até que tudo transbordou no quarto ano.

Ron sofreu dois grandes processos de amadurecimento, eu acho: a briga com Harry no quarto ano, quando ele andou com Fred e George, tentando ser alguém independentemente dos amigos, e no sexto ano, depois que Ginny jogou na cara dele que ele nunca tinha beijado ninguém e ele acabou aos amassos com Lavender…

Oh sim, porque Hermione é grande responsável pelo amadurecimento dele. As briguinhas entre os dois não eram exatamente desentendimentos, acontecia apenas que um era sensível demais ao que o outro falava ou pensava. Ao mesmo tempo, queriam manter as atenções neles, mas quando tudo se acalmava Ron ficava pensando… Por que Hermione iria gostar dele? Afinal, ele se achava um grande fracasso. Não era inteligente, não era um bruxo incrível… Ao mesmo tempo, ficar perto dela o fazia se sentir bem como ele era, mas estava sempre confrontando o modo como ele achava que era perto dela com o modo como ele se via diante do espelho, sozinho.

Vale lembrar que ele demorou quatro anos para perceber que ela era uma garota. Krum teve que lembrá-lo disso, a duras penas. Mas depois o processo se intensificou cada vez mais… Até os canários do sexto ano.

Aparentemente, todas as coisas incríveis que ele tinha feito não tinham o menor valor. A gente tende a pensar assim, quando não gosta de si mesmo. Tudo que se conseguiu foi por pura sorte, nunca mérito nosso. Nunca poderíamos ter feito duas vezes aquilo, já que milagres não acontecem duas vezes. Pelo jeito, Ron se esquecia constantemente que ganhara uma partida de xadrez potencialmente assassina com onze anos… Esqueceu-se que tomou a Poção Polissuco e se enfiou na sala comunal da Sonserina com Harry para investigar Malfoy… E não se sabe de muita gente que tenha feito isso. Esqueceu tudo, inclusive que esteve no Departamento de Mistérios, no quinto ano, e ganhou um campeonato de quadribol, tão logo se esqueceu do que poderiam pensar os que estavam assistindo-o (Weasley é nosso rei…) e apenas jogou. Ron se esquecia de que, se não fosse por ele, Harry teria enlouquecido, não teria sido capaz de enfrentar nem a metade.

Ron se esquece que ele é um amigo leal e que está sempre lá quando precisam dele, Ron se esquece que ele é engraçado e que sabe animar alguém, se esquece que por algum motivo ele foi feito monitor…

E não venham me dizer que ele se tornou monitor porque Dumbledore julgou que seria sobrecarregar Harry. O Escolhido tem um desprezo excessivo pelas regras – é certo que Ron também o tem, mas o passado de Harry depõe contra ele. E além do mais, não existem apenas dois meninos no último sexto ano da Grifinória. Se Ron é tão incapaz, por que ele teria sido escolhido? Ele É alguém sim, mas ainda não se deu conta disso… De repente ele vai ter que parar pra pensar e ver que conseguiu, que acabou se tornando mais do que todos os seus irmãos, porque afinal, ele é monitor, ele é goleiro no quadribol… E ainda já teve experiências terríveis ajudando Harry a enfrentar Voldemort! Sem mencionar o que está por vir no sétimo livro. Ele vai ajudar Harry com as Horcruxes… Vai acabar se provando valoroso para ele mesmo. Pois todos já sabem a pessoa que ele é, menos o próprio Ron. E quantas vezes nós não agimos desse jeito? Quantas vezes não temos a impressão de que os outros sabem mais de nós do que nós mesmos?

Não dava pra deixar de falar do medo de aranhas, despertado pelos gêmeos. Essas coisas começam mesmo na infância. Nós nos vemos de frente para um animal e, de repente, ele nos causa um pânico irracional… Não se pode culpá-lo.

Acho que essa foi a coisa mais parcial que eu já escrevi aqui. O problema é que eu me identifico demais com o Ron! Ele é um dos personagens mais reais da saga. Como a tia Jô diz, tem um pouquinho dela em cada personagem, e isso os torna tão verdadeiros. Por isso nós sentimos como se ele existisse… Ou não.

Eu sei que é chato, mas não dá pra escrever uma coluna sobre o Ron sem me perguntar o motivo do ódio que tantos sentem por ele. A grande maioria, como já provado, são os conhecidos Harry/Hermione shippers, além de um grupo de sonserinos viciosos que se divertem agindo exatamente como Draco Malfoy – mas o Draco de onze anos.

O argumento principal nas teorias que explicam o ódio a Ron é que ele impossibilitou que Harry ficasse com Hermione, no final. O que, apesar do que Steve Kloves queira nos fazer pensar nos roteiros dos filmes, NÃO acontece. Mas… Eu acho que, além disso (além do pensamento fechado de que existem apenas dois homens no mundo que poderiam ficar com Hermione, Ron e Harry), há um medo de assumir as nossas fraquezas, que é exatamente o que o ruivo faz, o tempo todo. Sempre nós o vemos expondo suas fraquezas, nem sempre voluntariamente. E aquela imagem fraca, a imagem do escudeiro que não faz nada o tempo todo parece irritar. Será que não é porque várias vezes nós agimos dessa maneira? O que há de tão errado nisso?

Bem, eu só queria mencionar o assunto chato de quem não sabe interpretar as atitudes de Ron Billius Weasley, porque realmente acho que não é algo tão polêmico a ponto de gastar-se mais tempo nisso. Por hora, acho que é bom falar apenas isso dele… Quem sabe uma próxima vez.

Vou ficando por aqui. E continuem sendo fiéis, como sempre!

Anúncios

2 opiniões sobre “Ah! Outro Weasley…

  1. Adorei a Coluna.Acho que ela reuniu bem todo o papel do Ron nos livros.Só não concordo que o Kloves tente colocoar H/H nos fimes, por que é impossivel retratar uma coisa que não existe XD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s