Semana

A verdade existe? Alguém poderia me dizer? Nós vivemos, muitas vezes, enganando a nós mesmos, nos dizendo que somos honestos, quando não somos, nos dizendo que somos corajosos, quando não somos… Mas será que existe um ato, um pensamento, capaz de dizer: pronto, agora eu realmente sou corajoso! Esse negócio de encontrar a verdade é papo antigo. Filósofos vindos antes e depois de Sócrates já se perguntavam isso, enquanto o velho feioso se limitava a cantarolar pelo mercado de Atenas: tudo que sei é que nada sei… Wow, por anos eu fiquei fascinada com isso. Eu SEI que é verdade. Nós não sabemos de nada.
Mas eu não posso me controlar.
A Astrologia é engraçada às vezes. Ela me diz que eu tenho uma compulsão pela sabedoria e que quero sempre o saber, acima de tudo. Muitas vezes eu já me perguntei sobre esse "acima de tudo", mas acho que, no fundo, talvez o saber seja o meu objeto de ambição. Sou um dragão de fogo de sagitário, já mencionei aqui? E a gente pode passar horas, apenas se perguntando o que acontece de verdadeiro. Por isso Pitágoras gostava tanto de matemática, talvez. Os cálculos são sempre exatos e são as únicas verdades. São prováveis, demonstráveis, e muitos outros áveis que podem ser encontrados por aí.
Entretanto, não são os números que sustentam as vidas das pessoas, e sim os sentimentos. Nós vivemos por uma pessoa, ou por um objetivo, determinado pelas nossas paixões. Nós nos iludimos com amizades e com amores, e acreditamos piamente que podemos confiar, que podemos amar e por que não ter tudo isso em retorno? Nós dizemos que sabemos apenas por sentir. Vale lembrar aqui uma cena de "Cidade dos Anjos", quando a personagem da Meg Ryan diz não acreditar que o de Nicolas Cage sente que ela é uma boa médica. Então ele pega a mão dela, a faz fechar os olhos e corre os dedos pela mão dela. Em seguida ele diz: "O que eu estou fazendo?", e ela responde. "Você está tocando a minha mão." Ele replica: "Como sabe disso?", e ela, "Eu sinto."
A mensagem que fica implícita é que temos outros sentidos, além dos cinco físicos que nos dominam, e, de acordo com filósofos da gangue de Parmênides, nos iludem. E eu quero saber. Esse sentido insinuado pelo Nicolas Cage são sentimentos? Emoções que, através dos séculos, foram amaldiçoadas por enganarem e ludibriarem poetas e artistas em geral? Não venham me dizer que o filme tem teor católico, porque não tem. Ele apenas insinua a existência de Deus, não importa se o dos católicos, dos judeus, dos bruxos, enfim.
Em uma das minhas fics, eu dei a seguinte frase para o Dumbledore: "A verdade é a única dor justa no mundo." Depois de escrever isso, fiquei olhando para a tela por um tempão e pensando… Desde então, tem sido um statement fixo do meu modo de viver. O problema é: como se faz quando não se sabe onde está a verdade? Nem sempre ela pode ser sentida. A esperança e o desejo de ser amado ou ser querido em retorno sim, nos cega.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s