Manifesto da Literatura Livre

Porque eu estou é de saco cheio de me dizerem do que eu tenho que gostar.
Porque eu tô afim é de mandar o Roland Barthes pra puta que o pariu!
Correndo o risco de parecer clichê e pedante, ó Saramago, me espresta aí tua palavra! O autor não só existe como está sentado bem na sua frente.
Ler não tem que ser um sofrimento. Um caso de morte. O que eu leio até hoje só me tornou melhor, jamais pior. Eu me recuso a perder a esperança nas letras só porque o curso de Letras me ensina assim.
Quero sossego na minha cabeça para me sentar em um auditório e abrir o meu volume das Crônicas de Nárnia. Ainda que ele nem seja meu favorito, ainda que seja quase que só por provocação.

Anúncios