Anestesia

Atingi um momento em que eu já não sei dizer o que eu sinto, porque não sei.
De verdade. Já cheguei naquele ponto em que se sofre por inércia.
Queria não ter que me mexer. Quero ficar parada.
Queria consolar as pessoas, mas não consigo. Sinto-me tão longe de tudo, e me sinto fraca.
Sinto que nem a literatura me esconde.

Quero voltar ao Ensino Fundamental e ler Harry Potter pela primeira vez.
Os motivos que me levaram já não são tão fortes pra me manter distante.
Já não tenho balanço próprio e parece que nada nunca se restabelece do jeito que eu preciso. Estou tão cansada de amadurecer.

Estou sentindo muita, mas muita falta mesmo, da minha parede de gelo – que chamaram de orgulho.

Pareço agora um animal fora da casca, que só espera o primeiro predador chegar, com medo e com certa resignação. Se pudesse, resistiria. Mas não quer/quero.
Fico envergonhada. Não tenho mais motivos pra ser fiel; serei então, fiel a mim mesma, ainda que esteja a menos que pela metade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s