Diário de Férias #3

Hoje eu estava vendo um programa da National Geographic sobre alterações corporais. Todo tipo de loucura: mulheres que injetam azeite no rosto pra ter uma pele mais bonita, mulheres que quebram as duas pernas pra tentar ganhar 3 centímetros de altura, anoréxicas, brasileiras com síndrome de dismorfia corporal que buscam aumentar os peitos desesperadamente. Bem, […]

Mercado de Trabalho, meu novo monstro

Um dos desafios aos quais eu me propus nos últimos seis meses foi trabalhar para entrar finalmente no mercado de trabalho. Sim, o temiiiido mercado de trabalho. Aquele do qual quase todo bacharelando tem horror. Todo concursando tem horror. Na verdade, eu não conheço ninguém que ache o mercado de trabalho a coisa mais divertida. […]

Solteira sim, sozinha sempre

Aqui estamos, caros leitores: eu, uma garrafa de água com gás e meu ventilador apontado pras costas, madrugada adentro. E hoje em dia quero soliloquar (GASTEI, HEIN) sobre as pessoas que namoram, esses seres alienígenas que convivem comigo diariamente, mas que guardam diversos segredos inatingíveis para pessoas, como eu, que se identificam um pouco demais […]

Princesas

Numa dessas noites de derreter em butecos brasileiros, uns ótimos amigos meus discutiam o que mais legal: ser princesa ou ser rockstar? Foi simplesmente impossível fazer os meninos entenderem a nossa escolha por ser princesa: a verdade é, pra que diabos serve uma princesa? Quase não existem mais princesas. Os meninos argumentaram que a princesa […]

Comentário: Drop Dead Diva

Uma das minhas recente estratégias envolvendo escapismo da realidade ou aborrecimento fatal consiste em achar alguma coisa, QUALQUER COISA, pra assistir que não esteja na nossa fantástica televisão brasileira. Pois bem. Eu estava fuçando no Baixe de Tudo e descobri o resumo dessa série, Drop Dead Diva. Duas semanas e treze episódios depois, differentemente de […]

Eu nasci estressada.

Sério mesmo. Hoje eu parei e pensei mais adequadamente em como a superlotação da FALE esse semestre está me incomodando e em como isso reflete meu último traço de natureza paulista: o stress infinito. Estávamos eu e dois amigos parados no meio da cantina conversando, no intervalo do noturno, e quando olhamos em volta, o […]