Guerra dos Sexos

Desde 2007, quando fui num Seminário de Política e Feminismo pela primeira vez, decidi pra mim mesma que achava o feminismo no século XXI o movimento mais descabido e anacrônico de todos os movimentos de minorias. Quando fiz na Letras uma matéria sobre poesia do século XX – ensinada por uma professora feminista – , peguei verdadeiro ódio do feminismo, primeiro porque toda interpretação de poema era a mesma merda, a representação do falo oprimindo a representação do feminino tralalalalalalalala, e segundo porque eu pensava nas mulheres da segunda metade do século passado queimando sutiã e tocando o terror no meio da rua – e até ali, nos meus dezoito anos, eu dizia a quem quisesse ouvir que não me senti nunca discriminada por ser mulher, e que diferentemente de outras minorias, eu tinha voz e podia bater de frente caso eu me sentisse discriminada.

Eu mudei de opinião bastante desde então, mas estava parcialmente certa com relação a uma coisa: entre todas as minorias, acho que nós mulheres temos mais espaço pra armar o barraco quando somos discriminadas. Não digo que acontece menos, mas eu sinto que mulheres são muito mais ouvidas do que gays ou negros, pelo grande público. Mas duas coisas devem ser levadas em consideração: primeiro, traços que causam discriminação não são exclusivos: você não é só gay, ou só mulher, ou só negro. E outra, como agora, de acordo com a idéia do politicamente correto não se pode – ou não se poderia – discriminar alguém pelo gênero, acaba que muitas mulheres acabam se vendo encarceradas no estereótipo do feminino. Muita gente já tem blogs a respeito, então só vou resumir o assunto colocando que as feministas contemporâneas acabam sofrendo preconceito por serem mulheres E por serem feministas, como se estivessem reclamando de boca cheia.

Quando eu estava indo pro metrô hoje peguei um jornal. A maior manchete tinha esta notícia.

Poucas coisas me deixam mais irada do que um boçal que chega dizendo: “ai, mas e o preconceito contra homens, brancos e heterossexuais?”. Dá vontade de sair correndo com uma serra elétrica atrás da pessoa. Eu não acho que alguém que diz isso entende o que quer dizer discriminação. A grosso modo, meus caros, é quando você é tratado como inferior por não ser de uma determinada forma que por acaso detém todo o poder político, ou econômico ou social, geralmente os três. Ou seja, ser tratado como inferior por não ser homem branco heterossexual! Não consigo explicar com mais simplicidade que isso. Sem mencionar quando o infeliz diz que homens não se sentem atraídos por mulheres que são mais bem sucedidas do que eles próprios. Não sei quem fica mais ofendido com essa, se a mulher dele, se a síndrome de pau pequeno do cidadão.

Sabe o que é mais preocupante? Isso foi dito por um membro do Parlamento Inglês. Não é o Zé do buteco. Não é nem um deputado estadual analfabeto funcional dalgum cantinho do Brasil que tem uma mulher e quinze crianças. Isso veio de um homem que provavelmente teve a melhor educação que o dinheiro pode fornecer, que teoricamente leu todos os livros que se deve ler, que representa os cidadãos do Reino Unido. Não há limites para a resistência da ignorância, é só o que eu penso. Deu tristeza.

Pois muito bem. Eu viro uma página, e o que vejo? Essa outra notícia.

Esses caras que falaram que acham um absurdo uma mulher trabalhar como lateral são tipo o Galvão Bueno e o Casa Grande daqui. Faz vinte anos que eles comentam todos os jogos principais daqui. Quando um comentário descaradamente machista como esse vem desse tipo de gente, só dá vontade de sentar no chão e chorar, porque é como se o mundo estivesse acontecendo à volta deles – e sabe-se lá de quem mais, que insiste em ignorar coisas tão simples? – e… e nada. E eles acham que não tem problema alimentar em rede nacional o estereótipo da mulher que é burra demais pra entender o que é um impedimento.

Eu normalmente não postaria sobre feminismo, apesar de ler alguns blogs e ser até simpatizante. Mas meio que me senti no dever de mostrar que esses pensamentos imbecis não estão confinados a países como o Brasil, muito pelo contrário. Foi da Europa que saiu boa parte dos preconceitos dos quais ainda tentamos nos livrar, mas não deixa de chocar como eles insistem.

 

 

Anúncios

Aventuras cibernéticas

Com mais de um ano de atraso, formatei o meu computador.

E sim, isso vale um post!

O coitadinho estava há mais de um ano pedindo um dia de spa, incluindo desintoxicação, emagrecimento, uma massagem de boa, sem vírus. Depois de muito drama,  consegui fazer o backup dos drivers e consegui o cd emprestado do meu Windows XP.

A quantidade de tutoriais que eu abri na internet não tem limite. Pesquisei sobre drivers, formatação, partição, tudo. Fui atrás de ver  como meu computador querido ficaria depois. Queria, uma vez na vida, ligar o Desgragmentador de Disco só pra ver aquela mensagem: “você não precisa desfragmentar este volume”.

Mas bem, vamos às dicas. Se você está na mesma situação na qual eu estava até hoje de manhã, tem alguns programas que podem te interessar.

DriverMax: se você é pirata feito eu, não tem o CD do seu computador e muito menos ouviu falar de instalar drivers, esse programa é uma mão na roda. Ele é leve de baixar, e magicamente prepara um backup de todos os seus drivers. Funciona assim: antes de formatar, você o instala, faz o backup num HD externo, pendrive ou CD e deixa lá junto com o pacote de instalação do programa que você baixou. Assim que você iniciar o computador pela primeira dez depois de formatar, instale o programa de novo; selecione a opção de reinstalar drivers a partir do backup e selecione a pasta onde você salvou tudo antes. Miraculosamente, seu computador fica pronto.

Opera: é um bom navegador pra quem ainda não confia no Google Chrome, que eu usava antes. Funciona no maravilhoso esquema de abas, não tem home page e sim o ranking das páginas mais acessadas, com a diferença de que é muito mais rápido e muito mais seguro. Até agora, não deu pau nenhuma vez, o que acontece com uma frequência filha da puta em usuários do Chrome.

É claro que mantenho recomendações lugar-comum, tipo Firefox – é bom ter dois navegadores, por isso uso Firefox e Opera (ESQUEÇA o IE), além dos antivírus.

Quando chega a hora de escolher um anti vírus, você tem algumas opções. Tem gente que gosta muito do Avira, mas sabe, ele já me deixou em grandes apuros por não detectar um vírus. Fui salva pelo Avast!, que é o meu escolhido até hoje, mas já usei também o  AVG e o Essentials. Descartei o AVG porque o mecanismo de atualização dele, apesar de frequente, é o mais irritante da face da Terra. Quanto ao essentials… Não tenho reclamações dele, mas o problema é que ainda não consegui validar meu Windows e a Microsoft não me deixa instalá-lo – e quem vier com a dica velha do regedit, THANK YOU, não tá funcionando. Aliás, aceito idéias alternativas pra validar meu windows – preguiça eterna.

Tudo que é sólido pode derreter

Faz tempo que eu conheço essa série, mas só hoje fui lembrar de postar!

“Tudo que é sólido pode derreter” é uma série baseada no curta metragem do mesmo diretor e com o mesmo título, com a protagonista Thereza (o nome da minha vó <3), uma menina de colégio e dos amigos dela. Algumas obras muito importantes das literaturas brasileira e portuguesa são abordadas de uma maneira muito coesa com os fatos do episódio. A protagonista está sempre se questionando e tendo uns insights de imaginação dignos de Lucas Silva e Silva. O que é mais bonito é que ela vê e conversa frequentemente com o tio, um diretor de cinema que morre ainda na história que está no curta metragem, mas isso é tratado com muita delicadeza, sem dramas, sem exageros.

A história é simples, mas conquista pela qualidade e pelo tanto que os personagens parecem reais. Não são adultos de 25 anos interpretando colegiais, igual na Malhação ou em séries internacionais. São adolescentes fazendo adolescentes, vestidos como adolescentes. Thereza não é melhor do que seus amigos, é parte de uma turma. Acho a coisa toda muito bonita e aconselho pra pessoas que mexem com literatura no ensino médio, ou que dão aulas de literatura de maneira geral:

Todos os episódios estão no youtube, mas fragmentados. Eu assisti no próprio site da série, Tudo que é Sólido Pode Derreter. Lá tem informações sobre os atores, sobre os episódios, e toda a trilha sonora, que é uma gracinha, principalmente a música de abertura. Muito recomendado.

Mandei e-mail para a equipe perguntando sobre a possibilidade de uma segunda temporada, mas apesar de confirmarem a possibilidade, não existe nada certo. Assistam! Ou vocês podem ter a paciência de ver na TV Cultura, onde eu descobri a série, de domingo à uma e meia da tarde, ou de segunda às seis da tarde. =]

Como conseguir NÃO falar com alguém no msn

Essa dica mágica que vou postar hoje é tristemente inútil pra pessoas que tem mais força de vontade que eu, quando online. Se você não pretende mais falar com alguém, mas por qualquer motivo não quer deletar a pessoa, é possível que mais cedo ou mais tarde você vá querer puxar assunto. Por exemplo: ex namorados, ex ficantes, ex amigos, ou qualquer pessoa que esteja em situação desconfortável agora, mas que um dia foi de boa o suficiente pra saber quando você está online e puxar assunto. Pra quem é freak que nem eu, isso é utilidade pública.

E aí, tem algum babaca no seu msn também?

Pois é. Como diria o famoso ninguém, as palavras tem poder. Veja bem, eu já me deparei com isso algumas vezes (e antes que vocês perguntem, SIM, eu me tenho no msn) : você decide não falar mais com um cara, por uma miscelânea de motivos: você vai se apegar e ele tá pouco se fudendo, ele te fez uma sacanagem, etc, etc, mas ainda assim, você sempre acaba derrotada pelo próprio argumento interno “ah, só vou ver se ele tá bem”… NÃO, MULHER! Ele está ótimo. E você também vai ficar, se não falar com ele. É isso aí, orgulho bombando na pista.

Enfim. Claramente, esse meu contato não sabe desse nome. Mas quando eu vejo “babaca” no lugar dele, perco a vontade. Modo totalmente seguro! Mais de duas semanas e nada, e sem vontade, inclusive. Não fucei orkut uma só vez, nem nenhum detalhe. Não é macumba, mas afasta o ser almejado em breves segundos.

Agora vamos ao how to:

Clique com o botão direito, e depois em "editar contato"

Depois de clicar em “editar contato”, é só colocar uma qualidade do seu contato que você não quer esquecer, e pronto! Toda a vez que uma crise bater, você vai olhar praquela qualidade e lembrar do motivo de ter feito aquilo. Não é irreversível, muito pelo contrário, dá pra desfazer a qualquer momento, é ótimo.

Quem me ensinou isso usava mais pra limpar a poluição das meninitchas que colocam nicks em degradê colorido e negrito, enfim, que viram só um monte de códigos pra quem não tem msn plus.

Se eu me acho saudável? Evidentemente que não. Mas tem tanta gente igual eu por aí! =]